Cultura & Turismo

Explore Quilombo do Grotão

História e herança

A história do Quilombo do Grotão começa nos anos de 1920, quando o senhor Manoel Bonfim, descendente de escravos no Sergipe, chegou ao local, que hoje conhecemos como Engenho do Mato, como colono, para trabalhar em uma das fazendas de abastecimento na Serra da Tiririca. Com o encerramento das atividades da fazenda, a dona da propriedade dividiu suas terras entre um grupo de colonos e, a partir daí, eles se estabeleceram. Anos depois, na década de 60, houve uma redivisão das terras devido ao crescimento da região, que culminou na especulação imobiliária, fazendo com que o Estado interviesse e determinasse que as terras em que se estabelece hoje o Quilombo permanecessem com a família Bonfim.

O Quilombo nasce num contexto familiar. Hoje, a família Bonfim chega à quinta geração mantendo a preocupação em preservar a natureza da Serra da Tiririca, a cultura negra e a memória tanto da família quanto do país, reforçando a resistência das comunidades tradicionais. Há alguns anos, foi realizado pela Universidade Federal Fluminense, um estudo da trajetória da comunidade e, a partir disso, os próprios moradores, descendentes de Manoel Bonfim passaram a se considerar quilombolas, o que aumentou seu desejo de preservar essa memória.

Estética e cuidado

Toda a ambientação do Quilombo do Grotão é construída sobre a base da cultura negra: desde a decoração do ambiente, com panelas de barro, imagens de Orixás e retratos de artistas negros nas paredes, até as atividades que são desenvolvidas e abertas ao público, como capoeira, roda de samba e feijoada. A intenção dos quilombolas é construir uma rede de colaboração entre os integrantes da comunidade para que todos contribuam para a preservação da memória, da história da região e de suas famílias e também do povo negro.

No local, rústico e embrenhado na mata da Serra da Tiririca, há uma espécie de cabana que abriga mesas longas e bancos de madeira onde são servidos a feijoada de sábado e qualquer outro tipo de refeição que haja em dias de festa. O ambiente atualmente é usado para eventos do próprio quilombo, no intuito de arrecadar verba para melhorias que atendam às necessidades da comunidade, e também já se estuda a abertura do espaço para eventos externos, como por exemplo casamentos e festas de pessoas que não sejam da comunidade.

Todo o dinheiro recolhido nas atividades realizadas no Grotão, seja pelos próprios quilombolas ou por pessoas de fora, é revertido em desenvolvimento para a comunidade. Com isso, já foram realizadas obras de saneamento básico, sinalização e também algumas na busca pela sustentabilidade.

Sustentabilidade e preservação

Os quilombolas prezam muito pela preservação do meio ambiente no local onde vivem. Tendo toda a sua base se formado através da agricultura, nos anos 20, eles compreendem que a preservação da natureza está diretamente ligada à qualidade da vida que levam. Em 2014, foi implantado o projeto Quilombo Solar, com intuito de alimentar o Grotão com energia solar. Porém, devido ao excesso de barreiras burocráticas, somente uma casa na comunidade é abastecida pelas placas de captação.

Um dos principais objetivos do trabalho realizado no Quilombo do Grotão é o desenvolvimento da comunidade, que vive à margem da urbanização recém instaurada na cidade. Através de atividades como aulas de música, rodas de capoeira, passeios guiados, feijoadas e rodas de samba, a comunidade se fortalece, investe na difusão do conhecimento adquirido por eles e fomenta a valorização da tradição oral e respeito aos seus ancestrais.

Estudo e desenvolvimento

Há alguns anos, o Quilombo despertou o interesse das universidades do Rio de Janeiro as quais encontraram nele uma fonte inesgotável de recursos de pesquisa, seja para fins antropológicos, culturais, de turismo, sustentabilidade, etc. Hoje, está em tramitação um projeto em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ para tornar o Quilombo do Grotão um Ponto de Cultura e, assim, receber incentivo financeiro do governo federal para desenvolver as atividades culturais que são desejo dos quilombolas e que caminharão no sentido de transmissão da cultura e costumes daquela comunidade, mas também na formação de jovens artistas e artesãos.

Acompanhe o Quilombo do Grotão nas redes sociais: https://www.facebook.com/quilombodogrotao/

Quer saber como chegar no Quilombo do Grotão? Siga o mapa:

Author: Explore Niterói

Explore Niterói é um guia turístico diferente. Feito por quem ama e vive na cidade de Niterói, explora todos os cantinhos da Cidade Sorriso com amor. Vem com a gente! #exploreniteroi contato@exploreniteroi.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *