Entretenimento

Facção Caipira retribui com música

O agradecimento veio afinado

Na última sexta-feira(18), no Centro de Artes UFF, os músicos da Facção Caipira cantaram, tocaram, emocionaram e nos preocuparam por um momento.

Por Mateus Pereira*

A Facção Caipira, em agosto deste ano, sofreu um assalto em que perdeu seus instrumentos. Desde então, amigos, bandas de Niterói, fãs e muita gente com amor no coração ajudou a banda de todas as formas possíveis; uma dessas ações foi o Juntos pelos Caipiras que cobri aqui no Explore. Mas dessa vez foram Jan, Vinícius, Renan e Daniel que retribuíram toda a força que receberam nesses últimos meses, e eu como fã de música boa, fui conferir o último show da Facção Caipira em 2016.

Foto:  Divulgação
Foto: Divulgação

Já havia assistido outros shows da Facção no Teatro da UFF, mas esse foi diferente. A primeira diferença foi que todos que haviam contribuído com a Vakinha para a banda recuperar os instrumentos, já ganhariam o ingresso para o show, ou seja, aqueles que haviam sido solidários teriam uma “recompensa”. Nada melhor do que esta ser um show maravilhoso. A segunda diferença esteve no início da apresentação: Jan Santoro (vocalista) convidou o público a ficar de pé e, a partir deste momento, ninguém mais sentou (o que nunca havia acontecido), a energia estava tão boa que o público foi para mais perto do palco. Depois do show, as palavras de Vinícius Câmara (baixista) resumem bem este momento: “O Jan chamou e a galera foi, ficou e não saiu mais. Foi chegando mais gente e foi ficando de pé e foi assim, muito maneiro”.

Falando mais especificamente sobre o show, vi a força, a garra e principalmente a emoção falar por cada um dos quatro músicos que estavam no palco.  A gaita de Daniel Leon, a bateria de Renan Carriço, o baixo de Vinícius Câmara e a guitarra de Jan Santoro deixaram de ser meros instrumentos inanimados. Nesta noite, foi a partir deles que cada pessoa do teatro pôde estar mais próximo do que a banda estava sentindo.

Músicas como “Levada”, “Pedrada”, “Hoje”, “Dois pra lá, dois pra cá”, “Homem Bom”, “Blues brasileiro foragido americano”, dentre outras, fizeram parte do repertório do show. As músicas não eram novidade, já que a Facção Caipira já as tocava antes mesmo do lançamento de seu CD “Homem Bom” no ano passado. Contudo, além de ser o último show da banda em Niterói este ano, esta apresentação representava muito mais para os músicos. Jan Santoro ao fim do show falou comigo sobre o que estava sentindo: “Aconteceu uma coisa (o assalto) que tem banda que acaba, sabe? Que não sabe o que fazer, música é difícil mas não é impossível e você saber que pode contar com as pessoas é maravilhoso. Tocar em cima disso foi muito emocionante, poder tocar, poder ter equipamento emprestado, poder ter dica de amigo e a gente refletiu isso no palco.”

Vídeo de parte da música “Blues Brasileiro Foragido Americano” no perfil do Centro de Artes UFF no Instagram:

No fim do show, um susto em todos, Daniel Leon (gaitista) desmaiou no canto do palco e foi retirado pela equipe do teatro e pelos companheiros de banda, nenhum mal maior aconteceu. Ele apenas passou mal naquele momento e minutos depois do show já estava rindo e conversando com o público na porta do Centro de Artes, Daniel inclusive já brincava com isso: “deu teto preto”. Só não nos assuste mais assim, por favor rs.

Após o show perguntei a Vinícius e Jan, qual seria a expectativa para 2017 e quais projetos viriam pela frente. Vinícius me disse que “ano que vem a gente vai se reestruturar, comprar equipamento novo e começar uma nova fase, vamos montar nosso estúdio em Piratininga, vamos trabalhar e queremos lançar coisas novas”. Quando perguntei a Jan qual seria o horizonte nesta nova fase ele me respondeu: “Já estamos fazendo composições novas, vai vir uma outra fase, mas pautada no que a gente sabe fazer. Nosso show é isso, guitarra alta, fuss, “porradaria”, bateria pra frente, só que a gente vai trazer outras paradas também. (…) Todo mundo se reinventa alguma hora e acho que essa é a nossa hora de fazer esse trabalho novo, gostoso pra galera escutar; a gente retribuir e curtir junto.”

Deixo aqui, por fim, um convite a todos os leitores do Explore Niterói. Os caras vão se reinventar e com certeza continuarão fazendo um trabalho belíssimo como já fazem pelo Brasil a fora. Uma dica para você que curte Legião Urbana: confira o projeto “Viva Renato Russo 20 Anos!“, uma iniciativa produzida após 20 anos do falecimento do Renato Russo com um álbum que traz releituras de clássicos escritos pelo artista para homenageá-lo. São 14 faixas gravadas por doze bandas, artistas brasileiros e internacionais. Os nossos Caipiras regravaram nada mais nada menos que Faroeste Caboclo. Clique aqui e ouça gratuitamente no Spotify os 9 minutos da música mais desafiadora da Legião Urbana agora como um “Blues pra lá de Rock ‘n Roll”.

Facção Caipira no projeto Viva Renato Russo 20 Anos! / Divulgação
Facção Caipira no projeto Viva Renato Russo 20 Anos! / Divulgação

*Mateus Pereira é analista de social media e um grande fã da cena musical independente de Niterói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *