Cultura & Turismo

Explorando Igrejinha Histórica de São Francisco

Há duas semanas, ao distribuir um dos livros da nossa ação do dia mundial do livro (saiba tudinho sobre ela nesse link aqui), encontrei com o Padre Ilídio na Igrejinha Histórica de São Francisco. Conversa vai, conversa vem, tocamos no assunto da abertura diária da igrejinha. Perguntei se poderia gravar um vídeo mostrando a exposição histórica e alguns itens únicos que temos lá, e, por final  se ele poderia me dar uma entrevista. Ele super topou, desde que não aparecesse no vídeo! Com isso, na sexta-feira foi ao ar no nosso canal no Youtube o vídeo que fizemos mostrando detalhes internos da igrejinha. Para concluir esse dia, segue abaixo um pouco do relato de Padre Ilídio sobre a Igrejinha Histórica de São Francisco. Vem com a gente!

Contexto histórico

Padre Ilídio começa fazendo um pequeno panorama histórico da localidade.

“Voltamos ao tempo dos jesuítas, uma congregação missionária da igreja católica que foi fundada na época dos descobrimentos e participou ativamente junto com os bandeirantes nesse espaço de tempo da nossa História tendo a evangelização como finalidade.

Niterói, no século XVI era basicamente dividido por fazendas. Nessa região, tínhamos a Fazenda do Saco que foi doada aos jesuítas em meados do mesmo século. Aqui os padres criavam animais e plantações para consumo próprio e para manter o colégio interno da congregação que ficava no Rio de Janeiro.

Por volta de 1700 o Marques de Pombal expulsou os jesuítas do Brasil, e com isso a família Fróes se apoderou da Fazenda do Saco, e juntamente dela havia a igrejinha. Depois de um certo tempo, a família Fróes devolve então uma parte dessas terras para a província, que por sua vez repassa essas terras para a arquidiocese da cidade de Niterói.

Em 1939 o então Arcebispo de Niterói doou tais terras, com todo esse acervo e construção da igreja feita pelos Jesuítas no século XVI, para a congregação de São Luiz Orione, nossa congregação que até hoje gere essa paróquia.

O estilo da Igrejinha tem um estilo próprio Jesuítico.”

Altar da Igrejinha / Foto: Red Werneck

Depois desse breve panorama histórico – que pode ser visto na exposição fixa da qual estamos falando, viemos para mais perto, sobre onde e quando começou o levantamento do material da exposição.

História em exposição

Padre Ilídio continua: “Em 2011 uma senhora que amava essa igrejinha, junto com o Padre Josumar (dos Santos, pároco na época) e outros frequentadoras de nossa paróquia fundaram um grupo chamado Amigos da Igrejinha. A partir disso, começaram a fazer esse levantamento histórico, com fotos da época, para colocar as pessoas da comunidade a par da história desse local.

Com a produção desse material nessas placas que é possível ver hoje, você pensa que a igrejinha estaria aberta para visitas, certo? Mas para minha surpresa quando voltei à paróquia em 2016 vi que a igrejinha estava fechada, junto com todos esses atrativos que devem ser visitados. Como já em tempos passados eu dava atendimento na Igrejinha, decidi voltar e consequentemente abrir a igrejinha para as pessoas poderem visitá-la.”

Obrigada, padre Ilídio! Ter a igrejinha aberta é muito bom para todos nós.

Aqui vai nosso vídeo, para você ficar com mais vontade ainda de visitar nossa igrejinha.

Igrejinha Histórica de São Francisco:
Aberta de terça-feira a sábado na parte da manhã
Visitação e confissão
Para mais informações, acesse o site da paróquia: www.paroquiasaofranciscoxavier.org.br/

Vem com a gente explorar ainda mais nossa cidade!

Author: Carol Tardin

Carol Tardin é produtora cultural e apaixonada por viagens e carnaval de rua. Nascida no Rio e criada em Niterói se apaixonou pela cidade, e mesmo morando no Rio atualmente, sempre deu um jeito de voltar para as terras de Araribóia – e ainda fez questão de estudar na UFF! (É muito amor, gente!). Nunca gostou de ouvir: “Niterói é cidade de dormitório” ou “nunca tem nada para fazer por aqui” – e é para provar a essas pessoas que elas estão equivocadas que se jogou de primeira no ExploreNiteroi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *