Agenda Cultural, Entretenimento, Nós vimos

Nós vimos: Deus e o Diabo na Terra do Sol

Nós vimos: uma coluna diferente, contando o que nossa equipe andou vendo pela cidade e que você não pode perder.

foto: Philipp Lavra
foto: Philipp Lavra

Antes mesmo de as luzes se apagarem no palco, Deus e o Diabo na Terra do Sol, montagem da Definitiva Cia. de Teatro já mostra a que veio. As cortinas abertas já expõem o cenário em que se passa toda a trama. Ao fundo, ouvem-se diversas vozes quase que como um mantra.

Com um cenário simples, elenco bem ensaiado e com músicas que falam por si, o espetáculo conta a vida de Manuel e Rosa no sertão. O espetáculo tem os textos de Glauber Rocha inalterados e a ideia de fazer essa montagem surgiu na Companhia quando o diretor, Jefferson Almeida, encontrou num sebo um livro com os roteiros originais. Além dos textos de Deus e o Diabo na Terra do Sol, ainda há alguns enxertos com textos de O Dragão da Maldade, continuação do longa de 1964.

“A pesquisa da companhia trata da música e da relação da música posta em cena, não só como um elemento decorativo, mas fazendo parte da dramaturgia e sendo ferramenta responsável por contar uma história e dar andamento dentro do enredo.” – diz Guga Almeida, ator que interpreta o sertanejo Manuel. Isso fica bastante claro já desde o primeiro acorde dado em cena, que leva o espectador a uma imersão no universo do sertão nordestino.

foto: Red Werneck
foto: Red Werneck

O espetáculo, circulando entre mostras de teatro, festivais e temporadas desde 2011, recebeu prêmio de revelação no FITA – Festival Internacional de Teatro de Angra pela montagem.

Confira a sinopse: Recheada de referências culturais e históricas, a montagem retrata vidas marcadas pela pobreza e tangidas pela força da religiosidade, pelo constante conflito entre o bem e o mal – Deus X Diabo – e pela luta por sobrevivência, nas dificuldades impostas pelo sertão. No centro da trama, está o vaqueiro Manuel que, em defesa de seu orgulho, dignidade, ou qualquer coisa que o valha, mata um coronel que tenta extorqui-lo. Perseguido pelos homens do coronel, Manuel foge com sua mulher, Rosa, e, no desespero, se une ao grupo liderado pelo religioso Santo Sebastião.

foto: Philipp Lavra
foto: Philipp Lavra

Nossa equipe conversou com os atores Guga Almeida, Betho Guedes e Raphael Marins sobre a temporada em cartaz no Teatro da UFF.

Para Guga Almeida (Manuel), é importantíssimo estar em cartaz no Teatro da UFF, por conta da relação que a Universidade tem com o Cinema. Ter um curso de Cinema na UFF aumenta o interesse pela relação ao espetáculo e traz um público qualificado, acostumado à linguagem escolhida pela Companhia pra essa montagem.

Dessa maneira, a peça busca despertar um pensamento crítico e espera ter um diálogo maior com a Universidade e o entorno, percebendo as diferentes reações dos espectadores. A expectativa do ator é que a peça possa gerar crítica, construir fonte de troca entre o trabalho feito, que precisa extrapolar o limite do palco e alcançar a plateia.

O ator Betho Guedes (Cego Julio), nascido em Olinda/PE, conta que tem Niterói como sua segunda casa, o lugar que escolheu pra viver há 16 anos, quando saiu de sua terra natal e veio estudar teatro no Rio de Janeiro. Betho revela que aqui se sente seguro e acolhido, diz que ama as pessoas da cidade e que não trocaria Niterói por nenhum lugar no mundo. Pra ele, é importantíssimo estar em cartaz no Teatro da UFF, palco em que já esteve antes com espetáculos infantis e produções como “Apocalipse Segundo Domingos Oliveira”, em que contracenava com Gregório Duvivier, e musicais sobre a obra de Altair Veloso. Mesmo já tendo estado em cartaz com Deus e o Diabo na Terra do Sol em Niterói quando o projeto fez parte da Caravana SESC, Betho Guedes diz que estar no palco do Teatro da UFF “é um orgulho. Antes [da reforma] já era maravilhoso e simbólico. Hoje ele [o Teatro] está mais lindo do que nunca.”

Nascido e criado em Niterói, o ator Raphael Marins (Coronel Moraes) se declara um apaixonado pela Cidade Sorriso e nos conta que subir ao palco do Teatro da UFF é a realização de um sonho antigo: “Pra mim, é a realização de um sonho. É a primeira temporada que eu faço aqui [na cidade]. Comecei a fazer teatro aqui em Niterói, no Colégio Mercês, era teatro amador. Então a única experiência que eu tinha de fazer teatro aqui era teatro amador. É a primeira vez que eu venho como profissional, depois de ter formado a companhia. É a primeira temporada na cidade.” Raphael faz parte da companhia desde que foi fundada e hoje pode dizer que une duas paixões: a cidade em que nasceu e a companhia que viu nascer. Raphael considera o Teatro da UFF e o Teatro Municipal João Caetano como os mais importantes da cidade e espera ainda pisar no palco do Municipal.

foto: Philipp Lavra
foto: Philipp Lavra

+ Confira o trabalho da Definitiva Cia de Teatro: a próxima montagem da companhia será A Hora da Estrela, texto de Clarice Lispector.

Serviço: Deus e o Diabo na Terra do Sol
01 de abril a 01 de maio de 2016
Sextas e sábados 21h | Domingos 20h
Teatro da UFF
Rua Miguel de Frias 9, Icaraí
Ingressos – R$ 40 (inteira) e R$20,00 (meia)
Classificação indicativa – 16 anos

Author: Explore Niterói

Explore Niterói é um guia turístico diferente. Feito por quem ama e vive na cidade de Niterói, explora todos os cantinhos da Cidade Sorriso com amor. Vem com a gente! #exploreniteroi contato@exploreniteroi.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *