blog, Entretenimento

Sobre realizar sonhos

Quando foi a última vez que você acreditou num sonho?

Há muito tempo eu não assinava uma coluna com meu próprio nomezinho, contando as minhas experiências pra vocês. Mas dessa vez eu não podia deixar de botar todo o meu coração aqui, porque esse é um post muito especial.

Através do Explore Niterói eu tenho o prazer de conhecer muitas pessoas. E algumas dessas pessoas ficam na minha vida como mais do que parceiros de trabalho, viram amigos muito queridos. Um desses parceirões que ta virando amigo é o Diego Ramos, diretor da Cia JUKAH de Teatro.

Mostra de Esquetes – À Beira do Trampolim / Foto: Julho Fraga Fotografia

O Diego é um queridão! Me recebeu super bem já no nosso primeiro contato, quando fui ver a montagem da JUKAH para Mogli (que ficou apaixonante, olhem essa matéria aqui) e desde então nós firmamos uma parceria maravilhosa entre os nossos projetos [que vai além dos sorteios de ingressos. Teremos novidades sobre isso em breve]. O Diego é aquele cara que veste a camisa na hora quando se identifica com alguma coisa. E ele se joga mesmo, não desiste até realizar. Mas mais que isso, ele não corre atrás só do que interessa a ele, mas também vive pra realizar os sonhos das pessoas em volta. Prova disso é a própria JUKAH, que recentemente precisava fazer uma seleção pra 6 atores e, dos 200 inscritos, terminou com 40 novos integrantes. Inacreditável, né?

Sonhos podem se tornar reais

Essa montagem de Aladdin também saiu de um sonho do Diego e [to até tremendo pra escrever isso] de um pedido meu. Uma coisa que vocês talvez não saibam sobre a Red Werneck empreendedora-fotógrafa-diretora-do-Explore-Niterói-adulta é que ela carrega dentro de si um pedacinho da Renata que ela foi quando criança até hoje. E foi numa brincadeira de amigos que nasceu o desejo de montar Aladdin agora, em 2017. Mais que isso, em 15 dias. Quando o Diego me disse que ia montar [e que era porque eu pedi], eu quase caí dura pra trás. Fiz questão de assistir à estreia e acreditem, eu chorei o espetáculo inteirinho, com um sorriso de orelha a orelha me acompanhando.

Não foi a primeira montagem de Aladdin que eu vi no Teatro [a Renata de 8 anos teve essa experiência também], mas sem dúvida, foi a que mais me marcou. Então eu preciso deixar aqui esse pedacinho do meu coração que ta saltitando de alegria por ter amigos tão queridos que fizeram esse desejo se tornar realidade. Obrigada, Cia JUKAH!

Aquela cara de criança feliz, né non / Foto: Diogo Mello

Falar sobre esse espetáculo sem me emocionar é bem difícil. Aladdin era é até hoje minha animação favorita e tem os meus personagens favoritos. A Cia JUKAH conseguiu ressignificar todos eles e transformar cada um em um novo personagem, único, mais maravilhoso ainda.

Aladdin e a lâmpada mágica

A história é aquela que a gente já conhece: Aladdin (Douglas Smith) é um menino pobre que rouba no mercado de Agrabah pra comer, porque não tem quem cuide dele. Seu fiel escudeiro, o macaco Abu (Pedro Henrique), acompanha todas as suas aventuras e proezas. Do outro lado dos muros do palácio real, a Princesa Jasmine (Elba Cecília) rejeita todos os pretendentes que seu pai, o Sultão (Filipe Vigo), arruma pra ela – Jasmine quer se casar por amor e a lei de Agrabah diz que ela deve se casar com um príncipe, para dar continuidade ao reinado de seu pai. Por trás dos panos, o Grão Vizir, conselheiro real, Jafar (Marcio Rebeque) planeja se casar com a princesa para tomar o poder, acompanhado de seu papagaio Iago (Rhayssa Guedes).

Jafar (Marcio Rebeque) e Iago (Rhayssa Guedes) / Foto: Vitor Vogel – Teatro Popular

Incentivada pelas amigas, a princesa Jasmine decide fugir do palácio pra conhecer seu povo e o mercado que abastece a cidade. No mercado, ela se envolve em conflitos com os comerciantes e é resgatada por Aladdin – e os dois se apaixonam à primeira vista. Enquanto isso, Jafar descobre a existência de uma lâmpada mágica que guarda um Gênio que pode realizar seu desejo de ser o sultão de Agrabah sem que ele precise se casar com a princesa, porém somente alguém com o coração puro poderá encontrá-la. Para isso, Jafar sequestra o menino Aladdin e o envia à Caverna que abriga a lâmpada.

Novidades em Aladdin – O Mundo Ideal

Aladdin e Abu encontram a lâmpada e, de dentro dela saem 4 Gênios (Diego Ramos, Itaiara Lago, Caroline Alves e Mayhara Sheylla). E essa é uma sacada genial da JUKAH: o Gênio que nós conhecemos – amigável e azulão – tem mais 3 companheiras que o auxiliam na realização dos 3 desejos de seu amo. Elas representam as vozes do nosso subconsciente, as personalidades que carregamos dentro de nós, que nos compõem e que nos fazem ser quem somos, sem exagerar demais. Elas são como filtros da Esperança, da Raiva e do Amor que carregamos, controlando as pitadas de sentimentos que exprimimos por aí.

Gênio da Lâmpada / Foto: Vitor Vogel – Teatro Popular

Do primeiro contato com os Gênios da Lâmpada, já nasce mais uma novidade da Cia JUKAH: Abu, o melhor amigo de Aladdin, ganha uma companheirinha, Abá (Giovana Rodrigues). A macaquinha é um presente pro Abu, aquele que sempre acompanhou as peripécias de Aladdin, pra que ele não fique sozinho depois que Aladdin e Jasmine comecem sua história juntos. Abá e Abu são aquela esperança de que todos nós merecemos alguém que cuide de nós e de quem nós gostamos de cuidar, alguém que seja nossa companhia nesse mundo tão solitário na era digital.

+ Saiba detalhes do espetáculo, elenco e ficha técnica >> aqui <<

Toda a trama se desenrola até que o casal tenha seu final feliz, que viva no Mundo Ideal, tão bem construído a partir da ideia etérea e fluida do sonho. O mercado de Agrabah é físico, palpável, visível. Todos os elementos estão lá para mostrar como é aquela realidade. Já o Mundo Ideal foi construído a partir de um jogo de luzes incrível assinado por Raphael Grampola, que permite ao público imaginar como seria o seu próprio Mundo Ideal. Apaixonante.

Sultão de Agrabah / Foto: Vitor Vogel – Teatro Popular

O espetáculo foi montado inteiramente pela Companhia, sem patrocínios e apoios financeiros, com muito amor e determinação. Os quase 50 integrantes da JUKAH deram seu coração por esse espetáculo e podem se sentir realizados e satisfeitos, porque o resultado está de tirar o fôlego. Digo isso não somente como parceira institucional dessa galera, mas também como espectadora, como público, como a criança de 7 anos que um dia eu fui e se viu imersa numa atmosfera de sonho e fantasia como nunca antes.

Por hoje fica aqui o meu relato apaixonado sobre essa montagem tão linda de Aladdin que a Cia JUKAH preparou com tanto carinho e excelência [e em tão pouco tempo]. E fica também o meu pedido a todos vocês que nos leem: não deixem de ir ao teatro prestigiar os artistas da nossa cidade. Não deixem de levar as suas crianças [as crianças da sua vida e a sua criança interior, também] para o teatro. Porque a Cultura é a chave que abre todas as portas do futuro. A Cultura nos leva a mundos distantes através da imaginação, mas também nos coloca no centro da nossa própria história, cuidando das nossas raízes e de quem nós somos. Não deixem de frequentar os espaços culturais de Niterói [e de onde mais vocês estiverem] e não deixem de valorizar a Arte e a Cultura como meio de expressão, como a linguagem que nos conecta, seja qual for o idioma falado.

Se você já foi ver Aladdin no fim de semana de estreia, não deixe de rever. A cada sessão o espetáculo tem um toque diferente, nunca é o mesmo. As surpresas que a Cia JUKAH preparou estão esperando você.

Dança final / Foto: Vitor Vogel – Teatro Popular

A inteira custa R$30, mas nós queremos tanto que você vá que ta rolando lista amiga. Você se cadastra e pode conseguir o ingresso por R$15. Os 100 primeiros inscritos na lista que comparecerem ao teatro compram o ingresso pelo valor da meia entrada. Cheguem cedo. Não percam essa oportunidade.

SERVIÇO
Local: Teatro Popular Oscar Niemeyer
De 01 a 08 de Abril às 16 horas
Dias 15 e 16 de Abril às 14 horas
R$30,00 (inteira)
R$15,00 (Meia)

Author: redwerneck

Produtora cultural, fotógrafa, exploradora, louca por Niterói. Red Werneck é prata da casa, nascida e criada na Cidade Sorriso, do tipo que levanta a bandeira Araribóia por onde vai. Idealizadora do projeto ExploreNiteroi, não podia deixar de narrar suas peripécias por Nikiti.

One Commnet on “Sobre realizar sonhos

  1. Mais uma incrível matéria lida neste lindo canal! Sabe Renata, se apaixonar por você é seu trabalho é fácil! Você é agregadora, empreendedora e uma pessoa que também acredita e corre atrás de sua objetivos. A busca por me associar é com pessoas como você. Que sejamos motores uns dos outros e que realizemos sempre uns os sonhos dos outros e lutemos pelos nossos. Voce merece este presente. Obrigado pelas palavras e que postagem especial. Afinal o seu coração está pulsando e vivo ai. E sinceramente, foi loucura montar este espetáculo mas tive quase 100 mãos dispostas a mergulhar fundo e tornar real. Assim fica fácil!
    Parabéns pelo Explore e que venham muito mais sonhos para concretizarmos.

    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *